O que é e quais as vantagens de um plano de carreira em W? - VitalSmarts Brasil

O que é e quais as vantagens de um plano de carreira em W?

Atualmente, empresas exigem que seus colaboradores tenham inúmeras habilidades e facilidade em se adequar a diversos ambientes. No entanto, estes profissionais não terão a oportunidade de adquirir tais qualidades se o ambiente de trabalho não oferecê-las adequadamente.

Além de proporcionar conhecimentos gerenciais e técnicos, o plano de carreira em W faz com que os colaboradores tenham flexibilidade, pois permite que eles experimentem diferentes cargos. Não limitando-os a crescer apenas em sua área de formação ou na atual função.

Para entender mais sobre a carreira em W e quais vantagens ela pode trazer para sua empresa, continue a leitura deste post!

Quais são as diferenças entre as carreiras em W e Y?

Ambas as formas projetam o crescimento dos profissionais dentro de uma determinada empresa.

Décadas atrás, a única maneira de avançar profissionalmente em uma organização era galgando cargos de liderança. No entanto, nem todos os profissionais têm esse perfil ou desejam gerenciar equipes — há, por exemplo, quem prefira ser reconhecido pela especialidade em sua área de trabalho.

Quem não queria continuar estagnado acabava aceitando tais cargos de liderança, o que gerava frustração e, consequentemente, queda no desempenho. Então, a carreira em Y surgiu como uma forma de valorizar esse profissional e oferecê-lo uma nova opção além dos cargos gerenciais.

Depois de passar por caminhos operacionais, seria possível escolher entre dois tipos de carreira: a gerencial e a técnica. O “Y” simboliza esse caminho se desdobrando em duas vertentes.

Na carreira técnica (também chamada de especialista, ou pesquisador), o profissional se especializa a ponto de se tornar referência em sua área. É ideal para quem gosta de colocar a mão na massa em vez de gerenciar e delegar atividades a outros profissionais.

Na carreira em Y, o técnico continua subindo posições na hierarquia da empresa, e seu salário é equivalente aos de cargo gerencial, com atribuições compatíveis ao seu perfil.

Já o profissional gerencial (também conhecido como generalista) atua tanto com tarefas quanto com pessoas. Ele lida muito bem com pessoas, além de conseguir administrar tarefas e recursos do seu setor. Incentivando, auxiliando e delegando atividades a cada perfil adequado, mas chamando a responsabilidade para si quando acontece algum problema.

Bom, como você pode notar, nem todos os profissionais são contemplados nesses dois tipos de perfis. Há quem seja bom em gerenciamento, mas não queira deixar de pesquisar ou de estar ativo em sua área. É aí que surge a carreira em W.

Pesquisas VitalSmarts

Essa carreira foi idealizada por Roberto Pierre Rigaud — o “W” nada mais é do que a junção lado a lado de dois “Ys” (YY). Ela traz mais uma alternativa para o colaborador, formando um gestor-pesquisador. Inclusive, há empresas que oferecem programas de rotação (job rotation) para que os colaboradores decidam em qual perfil se encaixam melhor.

Um tipo de profissional bem conhecido da carreira em W é o gestor de projetos. Ele pode gerir, continuar atuando e trabalhar como um consultor, auxiliando novos profissionais. Da mesma forma, é necessário aprender habilidades de relacionamento gerencial, como o coaching e o feedback.

Quais as vantagens da carreira em W?

Empresas com vários departamentos já perceberam que limitar o crescimento dos profissionais a apenas duas vertentes não apresenta tanta eficácia. Assim, a carreira em W traz inúmeros benefícios não só para o colaborador, mas também para a organização. Vejamos alguns deles:

Maior aprendizado

A carreira em W possibilita, principalmente, a junção dos perfis técnico e gerencial. Com isso, o colaborador tem chances de se adaptar a diferentes funções na mesma empresa, atuando tanto como um especialista quanto como um gestor.

Esse novo leque de cargos em que o colaborador pode atuar faz com que suas chances de aprendizagem aumentem consideravelmente, já que ele não estará limitado apenas a uma área. Assim, sentindo-se estimulado a seguir estudando e adquirindo novas ferramentas para se tornar multidisciplinar.

Novas oportunidades

Com esse novo aprendizado, o profissional amplia seus conhecimentos em diversas áreas. Não é porque ele começou em uma carreira relacionada a Marketing, por exemplo, que deve seguir pelo resto da vida nela.

Num ambiente de carreira em W, ele pode aprender outras funções na mesma empresa, sem ter que se desligar do seu atual emprego. Dessa forma, a empresa permite não só a ascensão vertical ou diagonal, como também a horizontal.

Possibilidade de mudança de carreira

Do mesmo modo, como há novas possibilidades, isso não impede que o colaborador se candidate para áreas diferentes da sua.

O analista de um setor pode se candidatar ao cargo de analista em outra área, por exemplo. Com isso, ele traz as habilidades que já têm para auxiliar em seu novo cargo — além de aprender novos conhecimentos para se adaptar a esta novo caminho.

Desafio constante

Com a chance de mudar de áreas, os desafios não param. O profissional tem que aprender as novas técnicas relacionadas ao cargo atual, estudar bastante e, principalmente, saber como adaptar os conhecimentos adquiridos anteriormente em sua nova função.

Resumindo, essa é a oportunidade do colaborador reunir as suas qualidades profissionais (tanto técnicas quanto gerenciais) para trilhar um caminho único e recompensador, sem espaço para conformismos.

Desenvolvimento da inteligência emocional

Como o profissional transita entre as áreas técnica e gerencial, ele precisa de habilidades que possam ajudá-lo a lidar com o estresse diário e a constante cobrança por resultados. O equilíbrio entre as duas áreas ajuda a trazer equilíbrio também entre ação e emoção, desenvolvendo a sua inteligência emocional.

Com a atuação nas duas áreas, dificilmente o colaborador se frustrará. O técnico não vai se sentir subestimado caso queira ascender na área gerencial. Já o gestor terá sua chance de trabalhar o lado especialista. No final, tanto a organização quanto o corpo de trabalho saem ganhando!

principios-da-influencia

Enfim, como vimos, antigamente as empresas só permitiam a ascensão vertical, ou seja, o colaborador só poderia galgar cargos de gerência. No entanto, nem todos se adaptavam a esse estilo de carreira: há quem prefira continuar ativamente na área, especializando-se e pondo a mão na massa.

Com o avanço constante do mercado de trabalho, as vertentes continuaram se ampliando: a carreira em W permite que o profissional ascenda também de formas horizontal e diagonal. Dessa forma, a equipe encontra novas chances de satisfação profissional, pois essas novas oportunidades impedem que os colaboradores se sintam estagnados.

Gostou de saber mais sobre a carreira em W? Aproveite para compartilhar este texto e espalhe o conhecimento em suas redes sociais!

Close