Como lutar contra o preconceito no trabalho? | VitalSmarts Brasil
Press enter to begin your search

Como lutar contra o preconceito no trabalho da melhor maneira?

Garota decepcionada com preconceito no trabalho
Infelizmente, o preconceito ainda é um problema comum na sociedade e, obviamente, no ambiente de trabalho. E todos nós sabemos o quão destrutivo esse tipo de comportamento pode ser não só para os indivíduos como também para as empresas. Veja abaixo as dicas que um dos nossos autores especialistas e bestsellers em comportamento organizacional deu para uma colaboradora que reclamava de machismo dos colegas em seu ambiente de trabalho.

Por David Maxfield

Início da carta da colaboradora:

Querido David,

Cinco mestres atrás, eu comecei a trabalhar em uma escola católica privada voltada para meninas. Eu trabalho como técnica, e aceitei o trabalho porque ele combina os interesses que eu tenho em educação instrucional, hardwares e resolução de problemas com softwares. O emprego também paga bem melhor do que o que eu ganhava no passado.

Eu sou uma mulher e todos os meus colegas de trabalho são homens. Estou me sentindo desconfortável, mas não por conta da proporção de 4 homens para 1 mulher.  O que eu sinto é que todas as minhas ações estão sendo analisadas com uma lupa. Eu entendo que essa é uma área de alta demanda. E também já trabalhei em escolas antes, mas nunca como parte de um time. Então eu fui introduzida a coisas como reuniões e feedbacks semanais.

Ultimamente, sempre que recebo algum feedback, sinto que meus colegas de equipe estão “pescando” coisas erradas.  Por exemplo, o ultimo feedback foi sobre o que a expressão no meu rosto transmite. Socorro??

Atenciosamente,

A que se sente julgada…

 

Querida Julgada,

Obrigado pela interessante questão. Ela reúne uma combinação de problemas a serem refletidos: ter sucesso como nova funcionária, responder ao feedback, e lidar com o preconceito inconsciente. Vou sugerir algumas abordagens.

Tendo sucesso como nova colaboradora. Parabéns pelo seu novo trabalho. Ele é também uma ótima oportunidade para colocar as bases de uma nova carreira. Aqui vai meu conselho:

  • Você conhece seu trabalho. No seu caso, isso significa que você é vista como expert nas diferentes tecnologias com que trabalha. Se você não é expert, então dedique tempo e esforços necessários para enfrentar rapidamente esse desafio.
  • Você trabalha na área certa. Isso significa que você se concentra em tarefas de alta prioridade e missões críticas em vez de permanecer na sua zona de conforto.
  • Você tem a fama de ser útil. As pessoas precisam vê-la, assim, generosa com seu tempo e experiência.

Construa relações. Procure alcançar relacionamentos além do seu time imediato. Agende duas a três reuniões com seus clientes – professores e administradores – pela escola. Pergunte a eles sobre as prioridades com o uso dos serviços de tecnologia que você e seu time fornecem. Escute as melhorias que eles gostariam de ver e anote. Tente detectar pelo menos uma ação concreta que você pode tomar para responder a suas sugestões.

Tenha um mentor. Ache uma pessoa que está disposta a te desafiar e ajudar. Pode ser um professor ou administrador, ou poderia ser seu supervisor. Os ingredientes essenciais na relação são segurança e confiança. Você precise de alguém que possa ajudá-la a percorrer a complexidade política de seu novo trabalho.

Respondendo ao Feedback. Você está recebendo muito mais feedbacks do que estava acostumada, e isso soa como se as pessoas estivessem usando uma lupa para dizer coisas negativas a seu respeito. Como você deveria lidar com o criticismo deles? Aqui vão algumas sugestões.

Evite a defensiva. É difícil não se defender, especialmente quando as críticas parecem muito exigentes, injustas ou imprecisas. Mas faça o seu melhor para se tornar um curioso em vez de se defender. Responda com “hmmm”… “Isso é interessante”. “Você pode me dar um exemplo para que eu possa entender melhor?”

Procure ser claro. Muitas vezes, quando o feedback parece injusto, o problema real é que é vago. Alguém diz: “você não está muito focado no cliente”, quando o que isso significa é: “após a chamada de ontem, você não voltou para ver se sua solução resolveu todos os problemas”. Retire o calor dos comentários e isso tornará mais fácil a solução do problema.

Seja público. Aqui vai um segredo: as pessoas continuarão a fazer feedbacks até terem certeza de que você recebeu a mensagem. Então, uma vez que você decidiu como responder a um feedback, faça dos seus planos públicos. Ao se mostrar público, você comunica que leva o feedback a sério, faz as mudanças e mostra que a pessoa que lhe deu o feedback pode seguir em frente.

Lidar com o preconceito inconsciente. Como uma mulher em uma equipe de homens, você se destaca. Você é notada. E, porque nós humanos temos nossas histórias, seus sucessos podem parecer um pouco surpreendentes para alguns, e suas falhas podem parecer um pouco confirmadoras para outros. Além disso, você pode achar que o ambiente de trabalho foi otimizado para quem estava lá antes – todos os homens. Como você deve lidar com esse tipo de preconceito?

Estudamos recentemente os efeitos nocivos do preconceito e descobrimos que os preconceitos sutis, como o que você descreve, são fortes e destruidores. Lamento que você se encontre neste tipo de ambiente. Felizmente, existem habilidades que você pode usar para enfrentar o que é provavelmente um preconceito inconsciente. Eu sugiro três dicas de nosso livro e treinamento Conversas Cruciais.

Não silencie. Não apenas sorria e se mantenha totalmente passiva. Quando você experimenta uma interação que deixa você se perguntando, – como comentários sobre o que a expressão em seu rosto transmite – saia do conteúdo e tenha uma conversa sobre suas preocupações. “Posso falar sobre o que estamos falando? Eu notei um padrão. Às vezes, você me dá feedback que parece mais pessoal do que o feedback que você dá um ao outro. Por exemplo, comentários sobre minhas roupas, meus óculos e agora minhas expressões. Como homens, vocês já receberam comentários uns dos outros sobre essas coisas?” O objetivo é começar um diálogo aberto, honesto e respeitoso que crie compreensão e respeito.

Mantenha o ambiente seguro. Evite rotular ou acusar os outros. Em vez disso, suponha que as pessoas tenham intenções positivas, a menos que seja comprovado o contrário. Conseguir um melhor resultado para o futuro exige que ajudemos os outros e nós mesmos a nos sentimos seguros enquanto abordamos problemas incômodos. Por exemplo, você pode começar com: “Eu não acho que você percebe como isso ocorreu…”

Indique seu caminho. Os indivíduos qualificados têm o cuidado de descrever suas preocupações, ausentes dos julgamentos e acusações que o resto de nós tem quando falamos. Por exemplo, substitua: “O que você disse era sexista e abusivo”, com “Sexta-feira passada, você disse:” Essa é a última vez que mandei uma mulher para fazer o trabalho de um homem.” Descreva o que realmente aconteceu – sem desculpas, sem auto-repressão, sem acusações e sem acusações. Comece com os fatos detalhados, sugerindo tentativamente o que os fatos significam para você, então convide outros para um diálogo onde vocês dois possam aprender.

 

Close